Ao prosseguir sua navegação neste site, você aceita o uso de cookies permitindo realizar estatísticas de visitas.Saiba mais Eu aceito

Usuário de fitofarmacêuticos

1. Definindo a atividade

O usuário de fitofarmacêuticos é um profissional que utiliza fitofarmacêuticos durante sua atividade profissional, incluindo operadores, técnicos, empregadores e autônomos, ambos no agricultura do que em outros setores.

Para ir mais longe Artigo R. 254-1 do Código Rural e Pesca Marinha

Dois graus. Qualificações profissionais

a. Requisitos nacionais

Para usar ou aplicar fitofarmacêuticos, o profissional deve:

  • Possuem certificado individual "uso profissional de fitofarmacêuticos";
  • obter aprovação se essa atividade for exercida por uma pessoa jurídica (ver infra "5o. b. Pedido de aprovação para aplicação de fitofásimacos");
  • manter um registro dos produtos utilizados. Este registro deve mencionar:- A data de aquisição dos produtos ou a entrega do tratamento,
    • As quantidades de produto utilizado,
    • Números de lote.

Note que

Este registro deve ser mantido por cinco anos.

Para ir mais longe Artigos L. 254-1 a L. 254-6 do Código Rural e Pesca Marinha; Regulamento (CE) 1107/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho de 21 de Outubro de 2009 sobre a comercialização de fitofarmacêuticos.

Legislação nacional

Treinamento

Este certificado (chamado Certiphyto) para a atividade de "uso profissional de fitofarmacêuticos" é dividido em três categorias correspondentes aos seguintes setores de atividade:

  • O tomador de decisão não subsificado na empresa;
  • O tomador de decisão aprovado na empresa;
  • operador nos negócios.

Certificado individual para atividade "operador"

O certificado de prática individual é emitido ao profissional que:

  • submetidos a treinamento que incluiu uma prova escrita de uma hora de verificação de conhecimento;
  • passou com sucesso em um teste de uma hora e meia, composto por vinte perguntas sobre o programa de treinamento estabelecido no Calendário II da Ordem de 29 de Agosto de 2016;
  • possui um dos diplomas na lista I da ordem de 29 de agosto de 2016, obtida nos cinco anos anteriores à data da inscrição.

Para ir mais longe : decreto de 29 de agosto de 2016 que estabelece e estabelece os termos de obtenção do certificado individual para a atividade "uso profissional de fitofarmacêuticos" na categoria "operador".

Certificado individual para as atividades de "tomador de decisão in-company in-company in-company" e "tomador de decisão de negócios credenciado"

Esses certificados são emitidos ao profissional que:

  • a Um curso de treinamento que incluiu uma prova escrita de uma hora de verificação de conhecimento;- passou com sucesso em um teste de uma hora e meia, composto por trinta questões sobre o programa de treinamento estabelecido no Cronograma II da ordem de 29 de agosto de 2016;
  • possui um dos diplomas na lista I da mesma ordem nos cinco anos anteriores à inscrição.

Para ir mais longe : uma ordem de 29 de agosto de 2016 estabelecendo e estabelecendo os termos de obtenção do certificado individual para a atividade "uso profissional de fitofarmacêuticos" nas categorias "tomador de decisão interna mente credenciada" e " tomador de decisão em uma empresa insubsada.

Note que

Esses certificados são válidos por cinco anos, renováveis nas mesmas condições.

Uma vez que o profissional cumpra essas condições, ele deve solicitar a emissão deste certificado (veja abaixo "5 graus). a. Solicitação de um certificado individual de prática").

b. Cidadãos da UE: para exercício temporário e casual (prestação gratuita de serviços (LPS))

Qualquer cidadão de um Estado-Membro da União Europeia (UE) ou de um Estado parte do Acordo sobre a Área Econômica Europeia (EEE) que detenha um certificado emitido por um Estado-Membro e legalmente estabelecido e envolvido em uma atividade relacionada ao uso de produtos fitofarmacêuticos podem realizar a mesma atividade de forma temporária e casual na França.

Para tanto, deve, antes de sua primeira prestação de serviço, fazer uma declaração ao Diretor Regional de Alimentação, Agricultura e Silvicultura do local onde o primeiro serviço é prestado (veja abaixo "5o). c. Pré-declaração para o nacional para um exercício temporário e casual (LPS)."

Para ir mais longe Artigo R. 254-9 do Código Rural e Pesca Marinha.

c. Cidadãos da UE: para um exercício permanente (estabelecimento livre (LE))

Qualquer cidadão de um Estado-membro legalmente estabelecido da UE ou da EEE envolvido em uma atividade relacionada ao uso de fitofarmacêuticos pode realizar a mesma atividade permanentemente na França.

Enquanto o nacional possuir um certificado individual de exercício emitido por um Estado-Membro, considera-se que ele detém o certificado exigido para o exercício na França desta atividade.

Para ir mais longe II do artigo 254-9 do Código Rural e Pesca Marinha.

Três graus. Condições de honorabilidade, regras éticas, ética

Obrigações sobre o uso de fitofarmacêuticos

O profissional que utiliza fitofarmacêuticos está sujeito ao cumprimento das normas relativas ao uso desses produtos.

Como tal, deve respeitar:

  • o prazo entre a aplicação dos produtos e a colheita;
  • A velocidade máxima do vento além da qual não pode utilizar esses produtos;
  • disposições para a aplicação ou esvaziamento de efluentes fitofarmacêuticos.

Além disso, qualquer profissional que utilize fitofásicos é obrigado a seguir o plano nacional estabelecendo os objetivos e medidas tomadas para reduzir os efeitos do uso desses produtos na saúde humana e no meio ambiente.

Para ir mais longe Artigo 253-6 do Código Rural e pesca marinha; Ordem de 4 de maio de 2017 relativa à comercialização e uso de fitofarmacêuticos e seus adjuvantes abrangidos pelo artigo L. 253-1 do Código Rural e Pesca Marinha.

É um de quatro graus. Seguro e sanções

Seguro

O profissional é obrigado, a obter sua aprovação, a fazer um seguro que cubra sua responsabilidade civil profissional.

Para ir mais longe Artigo 254-2 do Código Rural e Pesca Marinha.

Sanções

O profissional enfrenta uma pena de seis meses de prisão e uma multa de 150.000 euros se fizer o uso de fitofarmacêuticos sem ter a certificação ou o certificado individual de exercício.

Além disso, a Agência Nacional de Segurança Alimentar, Ambiental e do Trabalho pode proibir ou regular o uso de fitofarmacêuticos em áreas protegidas, incluindo áreas abertas ao público.

Note que

As pessoas públicas não podem usar produtos para eliminar pragas para a manutenção de espaços públicos (espaços verdes, escolas), exceto aqueles que são necessários para combater um grave risco à saúde. e aqueles que não representam nenhuma ameaça ao meio ambiente ou à saúde humana.

Para ir mais longe Artigo 253-7 do Código Rural e Pesca Marinha.

Cinco graus. Procedimentos e formalidades de reconhecimento de qualificação

a. Solicitação de um certificado individual de prática

Autoridade competente

A Diretoria Regional de Alimentação, Agricultura e Silvicultura (DRAAF) do local de residência do requerente ou, se necessário, o local da sede da organização onde o treinamento foi realizado, é competente para emitir o certificado.

Documentos de suporte

O profissional deve criar uma conta online no site service-public.fr para acessar o serviço de solicitação de certificado.

Sua aplicação deve incluir, dependendo do caso:

  • Um comprovante de treinamento de acompanhamento e, se necessário, um passe para o teste;
  • cópia de seu diploma ou título.

Tempo e procedimento

O certificado é emitido ao profissional no prazo de dois meses após o arquivamento de sua solicitação. Na ausência da emissão do certificado após esse período, e a menos que a notificação de recusa, os documentos comprobatórios acima valem certificado individual por até dois meses.

Para ir mais longe Artigos R. 254-11 e R. 254-12 do Código de Pesca Rural e Marinha.

b. Pedido de aprovação para fitofásimacos

Autoridade competente

O prefeito da região onde está localizada a sede da empresa é competente para emitir o credenciamento.

Documentos de suporte

Sua aplicação deve incluir o Formulário de inscrição concluídos e assinados, bem como os seguintes documentos:

  • Certificado de apólice de seguro de responsabilidade profissional;
  • um certificado emitido por uma organização terceirista justificando que realiza essa atividade de acordo com as condições que garantem a proteção da saúde pública e do meio ambiente. Esta certificação da empresa é realizada por um órgão certificador após uma auditoria com base em um repositório estabelecido no anexo do decreto de 25 de novembro de 2011 relativo ao repositório de certificação;
  • copiando um contrato com uma organização terceirizada com um contrato que forneça o acompanhamento necessário para manter a certificação.

Note que

Os microdistribuidores devem apresentar os seguintes documentos à DRAAF:

  • um certificado de seguro de responsabilidade profissional;
  • comprovação da realização do certificado Certiphyto por todos os funcionários que exercem funções de supervisão, vendas ou consultoria;
  • um documento que justifica que está sujeito ao sistema tributário das microempresas.

Tempo e procedimento

O profissional que iniciar sua atividade deverá solicitar uma aprovação provisória que será concedida por um período de seis meses não renovável. Ele poderá, então, solicitar a aprovação final.

O silêncio mantido pelo prefeito da região além de um período de dois meses, vale a pena decisão de rejeição.

Além disso, o profissional é obrigado, a cada ano, a fornecer ao prefeito uma cópia do certificado de assinatura de uma apólice de seguro.

Para ir mais longe Artigos R. 254-15-1 a R. 254-17 do Código Rural e Pesca Marinha.

c. Pré-declaração para o nacional para um exercício temporário e casual (LPS)

Autoridade competente

O nacional deve se inscrever por qualquer meio à DRAAF para o local onde recebe serviços pela primeira vez.

Documentos de suporte

A sua aplicação deve incluir o certificado individual de exercício emitido pelo Estado-Membro e, se necessário, acompanhado da sua tradução credenciada para o francês.

Note que

Esta declaração deve ser renovada anualmente e em caso de mudança na situação do emprego.

Para ir mais longe III do artigo 254-9 do Código Rural e Pesca Marinha.

d. Remédios

Centro de assistência francês

O Centro ENIC-NARIC é o centro francês de informações sobre o reconhecimento acadêmico e profissional de diplomas.

Solvit

O SOLVIT é um serviço prestado pela Administração Nacional de cada Estado-membro da UE ou parte do acordo EEE. Seu objetivo é encontrar uma solução para uma disputa entre um nacional da UE e a administração de outro desses Estados. A SOLVIT intervém em particular no reconhecimento das qualificações profissionais.

Condições

O interessado só pode usar o SOLVIT se estabelecer:

  • que a administração pública de um Estado da UE não respeitou seus direitos o direito da UE como cidadão ou negócio de outro Estado da UE;
  • que ainda não iniciou ação judicial (ação administrativa não é considerada como tal).

Procedimento

O nacional deve preencher um formulário de reclamação online. Uma vez que seu arquivo tenha sido apresentado, a SOLVIT entra em contato com ele dentro de uma semana para solicitar, se necessário, informações adicionais e verificar se o problema está dentro de sua competência.

Documentos de suporte

Para entrar no SOLVIT, o nacional deve comunicar:

  • Detalhes completos de contato
  • Descrição detalhada de seu problema
  • todas as provas nos autos (por exemplo, correspondências e decisões recebidas da autoridade administrativa competente).

Tempo

A SOLVIT está empenhada em encontrar uma solução dentro de dez semanas a partir do dia em que o caso foi assumido pelo centro SOLVIT no país em que o problema ocorreu.

Custo

Livre.

Resultado do procedimento

Ao final do período de 10 semanas, a SOLVIT apresenta uma solução:

  • Se essa solução resolver a disputa sobre a aplicação do direito europeu, a solução será aceita e o caso será encerrado;
  • se não houver solução, o caso é encerrado como não resolvido e encaminhado à Comissão Europeia.

Mais informações

SOLVIT na França: Secretaria Geral para Assuntos Europeus, 68 rue de Bellechasse, 75700 Paris ( site oficial ).